Sozinha mundo afora

Para mulheres que viajam sozinhas

Monte Roraima – A subida da Montanha

Terceiro dia é dia de subir a montanha.

Acordamos cedo, tomamos um café reforçado, arrumamos nossas coisas e lá fomos todos para o penhasco gigantesco e apavorante.Fui o tempo todo coladinha no Marcelo, até porque assim, se eu precisasse de ajuda, ele estaria por perto.

Na verdade eu achei bem fácil. Foram cinco horas, praticamente o dia todo subindo, mas o tempo ajudou, não chovia e o sol brilhava bonito no céu. Estranhamente no caminho não senti calor, o caminho não é sufocante, é fácil mesmo! Uma ótima surpresa. No vale das lagrimas tivemos que colocar a capa de chuva por causa da água da cachoeira, mas estava tão gostoso a água fresca caindo que eu até curti! Quando passamos levantei meu rosto pra receber um pouco da energia da cachoeira.

Pelo caminho aconteceram umas coisas bem legais, por exemplo, teve um momento que eu quase perdi o equilíbrio e instintivamente estiquei o braço para segurar em alguma coisa e segurei em uma coisa que parecia uma mão… recebi uma mãozinha da montanha! Isso aconteceu duas vezes pelo menos.

Faltando poucos metros para chegar no topo, o Marcelo, nosso guia da subida, me esperava sentado numa pedra, me mostrou uma pedra que parecia um rosto e me disse:

– Aquele é o perfil do Makunaíma, ele é o guardião da montanha.

Sentei do lado dele e, respeitosamente, agradeci por ele ter nos facilitado a subida e pedindo para que nossa estadia fosse tranquila.

Depois disso terminei a subida sem maiores complicações, tiramos fotos la encima, todos felizes! E depois procuramos nosso hotel – uma montanha encima da montanha que tem entradas e lages que protegem a barraca do vento e da chuva.

Nossa chegada não poderia ser mais feliz, sol, céu aberto, temperatura agradável! Tomamos um banho delicioso no rio e eu ainda me dei ao direito de lavar o cabelo e depois fui desfazer a mochila na minha barraca. Aproveitei para esticar tudo que eu tinha de molhado e minha barraca ficou parecendo uma favelinha, a de todo mundo aliás.

Não demorou muito para o tempo mudar, o monte Roraima é assim, o tempo muda a cada hora e depois começou a chover e esfriar. Nos reunimos, após todos terem se instalado, na sala de jantar do hotel, para conversar e nos aquecer, as 6 da tarde serviram o jantar, escureceu e esfriou de tal maneira que a única coisa sensata a fazer era ir dormir. Escovei meus dentes com uma água beirando o congelamento, até doeu meu dente e fui dormir.

DSC04644

Iniciando a subida

DSC04655

Olhando o topo, ainda falta muito!!

DSC04693

No Topo do mundo!

DSC04645 DSC04646 DSC04650 DSC04714 DSC04715

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 7 de janeiro de 2014 por em Monte Roraima e marcado , , .
%d blogueiros gostam disto: